Calendário da Paz
kin-Lua-7
kin-1-Dali.png
VINAL-10
tom11.png

Site do Movimento Mundial da Paz e Mudança ao Sincronário das 13 Luas

10/11/2013

Synchronotron- O Veículo do Tempo

Seminário com Stephanie South - A Rainha Vermelha

Seminário em Canela

A Rainha Vermelha faz conferências sobre o Synchronotron e ativa o novo raio no Brasil.

Kins de várias origens do planeta estiveram reunidos com a Rainha Vermelha, Stephanie South, durante o Seminário Synchronotron, realizado na sede do Movimento Mundial do Sincronário da Paz no Brasil, em Canela (RS), entre os dias 3 e 7 da lua autoexistente da Semente Galáctica Amarela (20 a 24 de outubro 2013).

O Início do Novo Ciclo no anel Semente Galáctica Amarela define a participação e integração da humanidade para a transição Biosfera-Noosfera, com esse propósito, o Seminário teve como principal temática a prática do Synchronotron.

A Rainha Vermelha, Stephanie South, fez uma síntese sobre os principais conceitos que envolvem a prática do Sistema recebido em 2008 por Valum Votan. A Matriz 441 e suas bases matemáticas organizadas em camadas sobrepostas de informação vindas desse e outros sistemas estelares, o desenvolvimento do 6º órgão de percepção extrasensorial, o Perceptor Holomental; os padrões de influência e relações entre as 9 dimensões do tempo e as Esferas Mentais e os novos arquétipos Hunab Ku 21, a árvore da vida e do conhecimento galáctico; foram explanados como orientação para a prática dentro do contexto de regeneração da realidade mundial no início do Novo Ciclo. Segundo a Rainha Vermelha, “ o desenvolvimento do Perceptor Holomental ajuda a encaixar novos níveis de pensamento livres de condicionamentos, auxiliando a mãe Terra, que aguarda o despertar da humanidade nessa recém-chegada fase evolutiva”.

O Perceptor Holomental é o mapeamento do novo órgão dos sentidos, descrito como uma espécie de nano-chip a ser impresso telepaticamente no corpo caloso do cérebro, desenvolvendo dessa o sexto sentido e a percepção radial.

A Rainha Vermelha também falou sobre a implantação do novo raio trazendo arquétipos galácticos, sistema de linguagem e imagens, novos sonhos e formas artísticas e de vida, e o equilíbrio entre os hemisférios cerebrais, permitindo a abertura de poderes mentais “normais”, antes considerados paranormais. Esse salto evolutivo já em andamento, corresponde às funções da Lei do Tempo, conhecidas como Ordem Sincrônica, cujos códigos estão ativando a transição da Biosfera, a camada de vida que envolve o planeta, para a Noosfera, o corpo mental da Terra. Esse momento inicial do Novo Tempo marca o período definido como a Segunda Criação, tempo em que poderemos ser os autores de uma nova história sem a polarização extremista da Era patriarcal. O equilíbrio entre os aspectos masculino e feminino refletem também a expressão andrógina da humanidade – um masculino sensível e o feminino mais forte.

Vários outros níveis sobre a prática Synchronotron foram explicados como um sistema com diferentes camadas sobrepostas. “Como um telefone inteligente com diferentes aplicações o Synchronotron pode ser aplicado para radializar os sentidos, ativar chacras, e promover a viagem no tempo, é o veículo do tempo”, sua compreensão e efeito exigem compromisso e disciplina dos kins planetários. A necessidade de levar a informação ao coletivo também faz parte dessa visão pós-sincronização. Ainda segundo a Rainha Vermelha o primeiro passo é a criação de um novo currículo de educação galáctico e a substituição dos modelos e mitologias do velho ciclo pelos padrões de consciência mais elevados.

Agora com os códigos de liberação temporal, podemos otimizar os 5 sentidos físicos e ativar o sexto sentido, o Perceptor Holomental, a chave para a limpeza e purificação do planeta. A Rainha Vermelha explicou que são 5 as portas de entrada para esse nível de consciência: “Crer no criador e no nosso autêntico poder; Disciplina para aproveitamento do momentum espiritual e destravar os obstáculos em nós mesmos; Esforço: dedicação a todos e a nós mesmos evoluindo como humanos; Paciência: quando estamos praticando e achando que nada está acontecendo, “é importante ir até o fim do caminho, não negligencie o todo e nem a origem”; e principalmente Amor e Compaixão: sem o amor os códigos estão “mortos”. Compaixão pelo sofrimento de todos, é a revolução do Amor.

A programação incluiu ainda Invocação às Direções Galácticas e aos Mestres Estelares, meditações da Ordem Sincrônica e da mente natural todas as manhãs e yoga synchrogaláctica. O encontro entre os kins como sempre trouxe muitas sincronicidades, contatos imediatos e reencontros mágicos promovidos pelo coração de todos que participaram do evento. Alimentação saudável, música das estrelas de todos os tons, tormentas ressonantes no meio da noite e gratidão. A Cultura Galáctica vem em Paz.

Por Ana Gardênia, kin114