Calendário da Paz
kin-Lua-7
kin-1-Dali.png
VINAL-10
tom11.png

Site do Movimento Mundial da Paz e Mudança ao Sincronário das 13 Luas

28 e 29 de Janeiro

WORKSHOP CONSTRUA SUA FLAUTA NATIVA

Imagem

Iniciação a Música do Grande Espirito


Centro de Estudos e Pesquisas da Lei do Tempo -Canela - RS

WORKSHOP CONSTRUA SUA FLAUTA NATIVA
COM BAMBÚ E TAQUARA


Lendas das Flautas Nativas e Artesanais. Seu uso como ponte entre nosso Espírito e o Universo

O som dos instrumentos do vento, e um dos mais antigos do mundo. A imensa variedade de flautas e a universalidade delas, parecen estar relacionadas com numerosos modos de emissão do ar e as variadas formas que o instrumento apresenta. Na sua origem, o som das flautas é produzido pelo impacto do ar contra uma embocadura. A configuração e a situação da embocadura determina os diferentes tipos de flautas.

A magia que as flautas nativas americanas libertam está intimamente relacionada com a sabedoria de quem as constrói, tornando-as instrumentos musicais de grande beleza, simples e com um profundo sentido de misticismo e natureza. Sua aparência e seu som estão ligados com ese tipo de mágica ancestral que é nutrido pelos antepassados desde uma cultura antiga. A pesquisa do som é o inicio do maravilhoso mundo da criação do seu próprio instrumento.



PRIMEIRO DIA

- O Workshop inclui materiais e ferramentas que serão usadas para a construção.

- Cerimônia de inicio com Fogo e Sahumos
- Lendas das Flautas Nativas e Artesanais, seu uso como ponte entre nosso Espírito e o Universo. Consciência dos Elementos: Fogo, Terra, Água, Vento, Espíritu e agradecimento por fazer possível esta transformação.

- Reconhecimento dos materiais e ferramentas que vamos utilizar para a construção

- Seleção do Material Cana Bambu o Taquara.
a. Tipo de Bambu mais conveniente para a construção da flauta
b. Onde podemos obtê-lo?
c. No caso de obter em um Bambuzal, qual é a data de colheita? como se prepara?.
b. No caso de um viveiro, Que tipo de Bambu escolher?
e. Limpeza no começo da construção
f. Proteção

- Seleção das Ferramentas
a. Utilização e cuidado das ferramentas (com o fogo)

Ferramentas que voce pode você pode começar a adquirir:

Afinador, serra (com folha para madera), cola de carpinteiro ou resina de árvore, lixa dupla A números 100 e 80, conjunto de limas com punho, serragem de cana, chave de fenda Philips de 3mm e 6mm, e chave de fenda plano de 6mm, faca para escritório, barra de ferro de 8mm, faca larga, goivas e óleo de linhaça para madeira.
- Corte da cana
a. É conveniente deixar nós? Quantos?
b. De acordo com o tom desejado, de onde é que vamos cortar?
c. Importância de marcação da câmara
d. As caraterísticas da câmara e construção
e. As caraterísticas dos componentes da câmara e construção.

- Começo do Fogo
a. Localização das ferramentas a ser aquecidas no fogo
b. Limpeza da cana
c. Técnicas de perfuração, tanto para nó, câmara ou notas.
d. Limpeza das perfurações para um melhor fluido do ar no conduto da cana
e. Ferramenta de limpeza para cada perfuração

- Câmara
a. Marcar com lápis os furos da “base da câmara”.
b. Perfuração com llave de fenda plano de 6mm.
c. Limpeza de perfuração.
d. Nivelamento da “base da câmara”, o que dá a sua sensibilidade.
e. Construção da tampa o tótem da câmara.
d. Sarjeta da tampa o tótem, medidas.
e. Apresentação da tampa com resina de árvore ou cola de carpinteiro.
f. Usar afinador para verificar se é a nota exigida.

- Iniciar o chamado do Espírito da Flauta com sahumo pelo interior da cana, pode ser com palo santo, copal, etc.

-Embocadura
a. Diferentes tipos de materiais.
b. Controle do ar de acordo com sua forma
c. Comprimento mínimo da embocadura para a câmara.


SEGUNDO DIA


-Módulo
O Módulo nos dá a localização dos furos de acordo com seu comprimento e rádio da cana. Para este exemplo e uma escala pentatônica, é uma redução da escala diatônica.
a. Fórmula para o módulo.
b. Importancia do comprimento e diâmetro da cana
c. Marcação do módulo.
d. Perfuração com chave de fenda phillips 6mm.
e. Limpeza da perfuração.

-Notas
a. Técnica de perfuração.
b. Limpeza.
c. Afinação.

-Embocadura
a. Diferentes tipos e materiais.
b. Controle do ar, de acordo com sua própria forma
c. Comprimento mínimo da embocadura para a câmara.

-Folclore
Interpretação do espírito popular do instrumento e seu, fundidos através de cores, fios encerados, penas e o que cada um sinta.

- Conclusão e cuidado
a. Manutenção da cana.
b. Selado orgânico.

- Aprendendo a fazer múscica
a. Conectar-se com a respiração
b. Localização das mãos e dos dedos
c. Exercícios de registro
d. Jogo de improvisação.


Objectivo Geral do Workshop
Objetivo: conhecer as várias Flautas Nativas realizadas por diferentes culturas: Nativo Americano (Siux, Dakotas e Lakotas, etc.) e Tribos Nativas da Arizona (Hopi, Cucapá, entre outras).
Aprender as técnicas diferentes do sistema de som e vibração das flautas nativas americanas e construí-las.

Compartilhar e desfrutar desta experiência maravilhosa que criaremos juntos.

Modalidade
O workshop será realizado em 2 encontros presenciais de 5 horas cada, dois dias consecutivos. Sábado 28 e domingo 29 de Janeiro 2017.

O workshop consiste de um espaço teórico e prático, onde vamos construir a flauta.
Inclui materiais e ferramentas a usar durante o workshop.
Após o curso, serão enviados por e-mail:
-Material teórico das aulas.
-Material complementário: lendas, contos e documentários.

Quem pode participar:
- Público em geral
- Pesoas que sentam ter a experiência de transformar-se
- Para quem deseja iniciar um empreendimento.

Local:
O workshop será realizado em Canela- RS. Centro de Estudos e Pesquisas da Lei do Tempo. Brasil

Valor
O workshop tem um investimento de R$330 ( Inclui alimentação e hospedagem no local do curso).

Contato
contato@sinccronariodapaz.org
Facebook: George Flores


Facilitador
George Flores
Eu nasci em Newark New Jersey
Estudei Arquitetura na Universidade Nacional de La Plata
Sou pintor e muralista desde o ano 2010, realizando exposições e murais em Argentina, Uruguai, Chile, México, Peru e Canadá.
No ano 2013 participei no Peru em vários círculos de sons com flautas nativas.
Nos anos 2013-2015 realizei na Argentina Cerimônias de harmonização com sons chamados "Yosemo" e "Vistrella", tanto grupal como individual, nas cidaddes de La Plata, Buenos Aires, San Nicolás, Rosario, Córdoba, Santa Teresita e Carmen de Patagones.
No final do ano 2013 eu começé com a construção de Flautas Nativas até hoje.
No ano 2015 compartilho as Flautas Nativas em diferentes feiras da cidade de La Plata, Mar del Plata e Miramar.
Ano 2016, começo a facilitar o Workshop de Construção de Flautas Nativas.
Atualmente estou matriculado em uma oficina de cerâmica pré-colombiana na Faculdade de Ciências Naturais da Universidade Nacional de La Plata.