QUEM SEGUE AS 13 LUAS SE TORNA UM LUNÁTICO?

Essa pergunta foi enviada ao nosso email. Sinto que é possível  aproveitar esse questionamento e revelar fatos interessantes sobre a lua e seus seguidores.

A palavra lunático tem muitas interpretações,  faz referencia  a  pessoas excêntricas, malucas, que procedem de forma incoerente e a pessoas  distraídas que figurativamente vivem no mundo da lua. 

Considerando essas interpretações, posso afirmar que a probabilidade  que um lunático se cure ao seguir as 13 luas é de 99%. 

Favorecendo a evolução através dos ciclos,  a lua influencia positivamente a vida na terra.

A cada ciclo cumprido, seja de um dia , uma fase da lua ou uma estação, tudo é aperfeiçoado e evoluído. Arguelles afirma que a evolução é uma condição irreversível do cosmos.   Porem,  é importante prestar atenção aos ciclos da evolução. Existem dois fluxos evolutivos, a evolução da evolução, e a evolução da involução. A evolução da evolução está vinculada ao recordar. A  memória original se mantém no foco desde o principio e segue os ciclos da evolução da evolução.  

A evolução da involução está relacionada ao esquecer, esse é o ponto onde os lunáticos se perdem. Sempre que você esquece a origem, você  evoluirá no esquecimento, ou seja, evoluindo na involução até sentir-se totalmente perdido. Nesse ponto o sincronário das 13 luas serve como  um antídoto contra o esquecimento. Através da sua linguagem técnica e regular sintonizada com os ciclos naturais, as 13 luas mantém a recordação da origem. 

A frequência de tempo natural gera informação biológica. 

Seguir os ciclos lunares é a forma mais assertiva para uma produção  agrícola sustentável. Através do ciclos naturais, o tempo informa e aperfeiçoa a vida. 

A influencia dos ciclos lunares é  observada pela humanidade  desde o final da ultima glaciação.

A sabedoria ancestral recomenda que para  evitar o apodrecimento da madeira, os cortes e podas devem ser realizados entre a lua minguante e a lua nova, quando o teor de seiva e humidade dentro dos troncos é menor. Na Lua crescente a seiva é atraída para cima, para as folhas, favorecendo o crescimento da parte superior da planta. Na Lua cheia é favorável colher plantas medicinais e frutos — os frutos estão mais suculentos devido a maior quantidade de seiva encontrada nos frutos e não é aconselhável realizar plantio. Na Lua minguante, a força da seiva diminui, indo para a parte inferior da planta. Recomenda-se iniciar o plantio de plantas de raízes. Na Lua nova, o período mais escuro,  a seiva atinge o seu pico máximo de retrocesso. As plantas têm baixa resistência às pragas. Não é aconselhável realizar plantios. 

A agricultura biodinâmica,  apresentada inicialmente por Rudolf Steiner, a partir de  1924, comprova  que a Lua assume um importante papel como guia do que deve ser plantado em cada época do calendário lunar.

Por ser um espelho do sol, a lua reflete luminosidade e influencia o crescimento dos vegetais, as marés e o comportamento humano,  o ciclo menstrual, por exemplo, é sincronizado pelo  ciclo lunar.  

Na lua cheia, temos períodos mais iluminados e na lua nova períodos mais escuros.  É provável que durante a lua cheia estejamos mais ativos e consequentemente com sono perturbado. É quando o dia escurece que a Melatonina, hormônio ligado ao sono, começa a ser produzida na glândula pineal para ajudar o organismo se preparar para dormir. Com a lua cheia, tendemos a produzir menos melatonina.

Na lua nova é possível que o nosso sono seja mais profundo e por essa razão poderemos nos sentir melhor.  Durante o sono, o corpo diminui a produção de cortisol e adrenalina, ajudando a diminuir o estresse. Consequentemente, melhoramos o nosso humor, ativamos a nossa memória e estimulamos o raciocínio. O sono profundo rejuvenesce a pele.

Iniciar projetos na lua crescente pode ser auspicioso, pois é nessa fase que estamos dispostos ao crescimento. Na lua minguante estamos mais introspectivos, é um tempo favorável a elaboração.. 

Uma vez que essas influencias são observadas e associadas ao nosso comportamento, poderemos evitar neuroses e questionamentos desnecessários. 

Seguir os ciclos naturais é estar em sintonia com a natureza e a sua evolução orgânica, somos parte dela e evoluímos junto com ela. 

Observar a lua no céu é uma atividade mental positiva e  pode gerar em nosso inconsciente a recordação de um evento sempre existente e que a bilhões de anos segue seu fluxo cíclico e estabiliza a terra. 

Sempre que recordemos a nossa origem e saibamos que a evolução da evolução é o infinito refletindo a si mesmo.  Podemos nos aperfeiçoar. 

Na linguagem popular isso é resumido como:

E ai? Só vai?

Sim, só vai, em espiralados ciclos de evolução.

André – kin93

Deixe um comentário

0
    0
    Seu Carrrinho
    Seu carrinho está vazio.Voltar às compras